Outubro 22

A cultura da excelência


Já lá vão cerca de 2 anos e meio desde que, perante a dificuldade de se cumprir diversos critérios de excelência ao nível do treino, nos lançámos na aventura de um projeto sem fins lucrativos, que permitisse encontrar os meios que o sistema português não proporciona (exceção aos poucos clubes desportivos que ainda se esforçam por apoiar os atletas, pelo menos, enquanto eles demonstram determinados níveis de rendimento).
Desenvolvido por atletas e para atletas de élite, rapidamente surgiram jovens técnicos que abraçaram os objetivos do projeto com o intuito de construírem algo de inédito e com impacto no mundo da corrida em Portugal. Desde aí, foram-se desenvolvendo diversos projetos, todos eles com um denominador comum: excelência! Palavra frequentemente (ab)usada que exigiu desde logo uma definição bem concreta de como traduzir essa excelência em ações reais, capazes de renovar a vida das pessoas, facilitando mudanças rumo a uma felicidade e bem estar crescente.
A verdade é que a felicidade da sociedade atual se parece medir pelo elevado desempenho nas redes sociais (leia-se likes) ou pela proliferação de realidades virtuais com as quais se criam verdadeiros mundos de fantasia, com tanto de artificial que só pode levar ao desapontamento e ao desacreditar dessas pseudo-realidades.
A excelência deve traduzir-se desde o início pela SIMPLICIDADE, HONESTIDADE, CONHECIMENTO e HUMANISMO. Nos diferentes projetos que levamos a cabo, não existe a necessidade de cumprir determinados resultados económicos e, também por isso, a honestidade é total sem qualquer tentação de vender “gato por lebre”. Para este projeto basta uma sustentabilidade suportada nas pessoas, nas amizades, na cooperação, na vontade de ajudar e fazer acontecer.
Foi com base nestes pressupostos que se iniciou o projeto Run4excellence assente desde o início em relacionamentos genuínos e partilha de responsabilidades, suportada numa confiança mútua, que permitisse que cada um pudesse dar o melhor de si, em prol de um projeto que se pretende inovador.
Fomos também percebendo que os nossos critérios de excelência não são lidos da mesma forma pelo mundo que nos rodeia, daí as hesitações de potenciais parceiros que nem sempre se revêem nos mesmos critérios de excelência que partilhamos.
Consideramos que os nossos valores devem prevalecer sempre e, por isso mesmo, as dificuldades são sempre vistas como desafios. Até pode parecer que o sucesso dos outros é melhor, porque gera “receita”, ou porque gera “clientes”, ou gera “crescimento”, mas a medição da nossa excelência traduz-se pela felicidade que encontramos no que fazemos, pelas paixões de cada pequeno projeto, edificando um valor a essa felicidade que é insubstituível por qualquer outro tipo de retorno.
No meio dos nossos erros e falhas, conhecemos a entrega e os valores de ética que nos orientam. Sabemos também o que podemos dar e receber. Nem a juventude dos nossos atletas, nem dos técnicos deste projeto abala um esforço coletivo que visa apoiar corredores de élite, que forma jovens treinadores e que ainda permite uma ampla e partilhada reflexão em torno de projetos de formação e investigação aplicada. Aplicada porque queremos que sirva para algo e que desenvolva aprendizagens autênticas capazes de promoverem mudanças.
Ao longo destes mais de 2 anos muito se fez. Existem melhores condições para os atletas de élite (Run2win) que se vão desenvolvendo potenciando melhores resultados. Desenvolvemos diversos canais de formação que abrangem cada vez mais técnicos e praticantes (Learn2run) e criamos programas em ambientes renovados, importando novos interesses para o mundo da corrida (Run4hotels). Criámos uma revista (INSIDE running as a lifestyle) que cruza mundos, projeta a imagem da corrida e do corredor, conta histórias de sucesso que servem de exemplo para todos nós e que ainda nos trás o “sumo” do que de melhor se faz no treino e na ciência. Envolvemos pessoas de todas as idades e com o treino, requalificamos vidas (Run4health).
Não criamos riqueza material, nem uma grande carteira de clientes, mas criamos laços e medimos o sucesso do nosso projeto por parâmetros emocionais interpretados por todas as pessoas que se envolvem com este projeto. O sucesso é a imagem do programa Run2improve, porque as pessoas são genuinamente o nosso verdadeiro target e porque a cooperação é a ignição de tudo o que acontece a cada dia. Porque os técnicos vestem a camisola e dão tudo para ajudar dezenas de corredores recreativos. Porque esse seu esforço é compensado de modo a sustentabilizar uma carreira, nessa estranha profissão que é ser “treinador de corredores”. Como se não bastasse, os atletas de élite dão dicas, motivam, treinam e gritam pelos corredores recreativos nas suas provas. É nessas mesmas provas que os corredores de élite expressam resultados que refletem muito desses corredores recreativos. A cooperação estende-se a técnicos e corredores que participam em training camps, cursos de formação técnica e encontros de rua…aqueles em que uns puxam pelos outros e os fazem sentir especiais…
A nossa cultura de excelência alimenta-se dos outros e do que lhes conseguimos proporcionar, porque acreditamos que dar é o primeiro e mais curto caminho para receber.
Não dispomos dos meios que devíamos ter e que este projeto justifica. Alguns preferem até apontar para uma certa irrealidade destes ideais e desta forma de estar, mas vamos estando por aí, todos os dias, com a força do trabalho, a energia dos que estão connosco e a confiança dos resultados que vão surgindo.
Num mundo em que o único tempo que temos para olhar pelos outros, se traduz cada vez mais num like, vamos teimar em estar com as pessoas, em edificar valores e princípios de ética, acreditando que um dia, teremos os meios para fazer mais e melhor. Sem nunca perdermos a noção do que realmente deve querer dizer a palavra excelência e sem que essa excelência caia no erro mesquinho da quantificação em detrimento dos valores e das pessoas!